As primeiras ações de caráter avaliativo

Em 1997, surge a primeira experiência de avaliação institucional no Centro Universitário Moura Lacerda, com a formação de Comissões de Avaliação por Departamento, criadas para a elaboração de uma avaliação qualitativa dos Cursos de graduação. Sem uma diretriz na avaliação, as metodologias utilizadas por cada Departamento pecaram pela falta de padronização e consequente dificuldade de aglutinação dos resultados; assim, não foi possível uma visão completa do Centro. Como os resultados não foram satisfatórios a Instituição decidiu nomear uma Comissão de Avaliação para direcionar o processo e tentar garantir uma padronização nas ações.

Em 1998, foi nomeada a primeira Comissão Geral de Avaliação, que elaborou o primeiro instrumento avaliativo, o qual contava com a participação de professores e alunos. O objetivo era levantar e analisar os aspectos gerais do trabalho dos docentes, coordenadores e técnico-administrativos. No entanto, os resultados dessa avaliação não foram considerados  significativos, devido às falhas no processo de sensibilização e metodologia de amostragem, ocasionando um baixo número de questionários devolvidos pelos alunos. Nesse cenário, a Comissão de Avaliação passou a participar de encontros e congressos, para uma capacitação em avaliação institucional, e promoveu uma reestruturação de sua composição.

A CIAI

Em 1999, com a reestruturação, a Comissão passou a ser denominada Comissão Interna de Avaliação Institucional – CIAI, dando-se início a um novo processo de avaliação, mais amplo e com um referencial teórico mais apropriado para a tarefa.

No decorrer do processo, foram elaboradas metodologias de avaliação adequadas às necessidades do Centro Universitário e com procedimentos que possibilitaram a participação de todos os segmentos da comunidade acadêmica, bem como foram desenvolvidas atividades de sensibilização de todos os segmentos, com a utilização de palestras, cartazes e informativos.

Assim, a partir do final de 1999, o Projeto de Avaliação Institucional do Centro Universitário dá um salto de qualidade e inicia um processo permanente e transparente de avaliação das práticas acadêmicas e administrativas, proporcionando uma análise contínua das várias esferas da vida acadêmica, como: ensino, pesquisa, extensão e gestão administrativa.

Em consonância com a realidade atual, o projeto privilegia o fato de, atualmente, a avaliação ser entendida como um instrumento de natureza democrática e participativa, capaz de auxiliar a instituição e os indivíduos a concretizarem seus objetivos, garantindo um caráter de confiabilidade aos projetos propostos e em desenvolvimento.

A CIAI, de posse de metodologias mais adequadas, reiniciou o processo de avaliação institucional dos cursos de graduação e sequenciais, com diagnósticos do perfil do aluno ingressante, de autoavaliação do corpo docente, avaliação do processo de ensino-aprendizagem, avaliação da infraestrutura e dos serviços prestados pela Instituição.

Através desse procedimento, a CIAI aprimorou as metodologias e os instrumentos utilizados, obtendo uma maior participação da comunidade, através de discussões com os colegiados de cursos, os coordenadores e a reitoria do Centro Universitário.

No ano de 2005 houve uma pausa nas pesquisas a serem realizadas, para ser feita uma análise dos instrumentos utilizados pela CIAI e para serem traçados os novos horizontes a serem seguidos pela comissão, de acordo com as propostas em discussão no MEC, procurando assim compatibilizar nossas ações com as propostas do SINAES – Sistema de Avaliação da Educação Superior. Assim, em 2005 o projeto de avaliação institucional do Centro Universitário Moura Lacerda foi atualizado e modernizado.

Uma das propostas inovadoras no processo foi a montagem de subcomissões para se realizar uma avaliação qualitativa em cada curso de graduação, compostas pelo coordenador do curso mais dois professores da área específica de cada curso, indicados pelos seus respectivos colegiados. A finalidade da avaliação qualitativa foi de verificar os pontos fortes e fracos, analisar e propor melhorias nos cursos. Cada subcomissão trabalhou segundo um roteiro desenvolvido pela CIAI (com base na proposta do SINAES).

No decorrer dos vários anos de existência da CIAI, a comissão vem se aperfeiçoando e propondo melhorias para a continuidade do trabalho na instituição. Ao término de cada ano revisam-se os trabalhos desenvolvidos no período, momento em que se analisa o que foi realizado e as metas a serem seguidas para o ano seguinte.

O momento da informatização dos instrumentos

Em meados de 2007 o processo de avaliação interna através de questionários para a comunidade acadêmica foi novamente interrompido para procedermos à informatização de todos os processos e instrumentos da CIAI. Inicialmente utilizamos o Portal Universitário, passando depois para o sistema acadêmico ORION, mas com resultados não muito significativos. Em 2009 foi estruturado o processo de avaliação interna através da página da Instituição na Internet com a informatização dos instrumentos para participação de toda a comunidade.

A mudança na sigla da CIAI para CPA

Dando prosseguimento ao processo em 2011 a composição da CIAI foi mais uma vez para dar maior dinamismo no processo e foi alterada a nomenclatura utilizada internamente de CIAI para CPA, Comissão Própria de Avaliação, buscando com isso compatibilizarcom a linguagem utilizada pelos órgãos reguladores do MEC. Em 2012 a CPA iniciou um novo trabalho intensivo de sensibilização da comunidade interna para fixar, integrar e familiarizar definitivamente a nova marca, CPA, à dinâmica acadêmica.

Além dos procedimentos de avaliação interna pelos questionários, a CPA vem trabalhando sistematicamente junto com as  Comissões de Especialistas do MEC e discutindo internamente os eixos do SINAES em paralelo com nosso PDI – Plano de Desenvolvimento Institucional e também trabalhando com os dados do ENADE.

O ano de um novo posicionamento

Em 2013, a CPA desenvolveu um trabalho sólido de construção de marca por meio de um conjunto de ações estratégicas que objetivaram o reforço da imagem da Comissão perante seu público de interesse: a comunidade acadêmica.

O foco em Comunicação iniciou-se com o desenvolvimento de uma nova marca e de seu manual de identidade visual e papelaria, para que o uso de um padrão com unidade visual auxiliasse na identificação das ações de comunicação da CPA.

A entrada nas redes sociais e a retomada do blog da CPA foram os passos seguintes, essas ferramentas gratuitas e de fácil aproximação do nosso público-alvo permitiu alcançar de modo efetivo a comunidade acadêmica.

Duas décadas de Avaliações Institucionais

A CPA Moura Lacerda comemora, no ano de 2016, 20 anos de trabalhos relacionados ao levantamento de dados sobre a nossa comunidade acadêmica por meio de instrumentos de pesquisas.
As avaliações institucionais são de grande valia para todos – instituição, cursos, coordenadores, professores, alunos e colaboradores-, pois permitem o mapeamento das necessidades da nossa comunidade, em todas as unidades.
Para esse momento importante da Comissão Própria de Avaliação do Centro Universitário Moura Lacerda foi criado um selo comemorativo.

cpa selos - Copia

CPA – Comissão Própria de Avaliação
Fale Conosco: cpa@mouralacerda.edu.br
Siga-nos no Facebook: @cpamouralacerda 

It is an irrational step to neglect this recommendation, even if you prefer to entrust the grade of your test to a paper writing https://majesticpapers.com/ service