Número de créditos: 4

Carga horária: 60

Ementa:
Trabalha as diferentes concepções de constituição do sujeito, abordando abordando a relação indivíduo-sociedade e a educação, nas perspectivas sociológica, psicológica. Discute a construção social da consciência, da identidade e as diferenças.

Objetivos:
Levar o aluno a compreender as diferentes concepções de constituição do sujeito nas perspectivas psicológicas e sociológicas, tendo como foco as práticas educativas;
Levar o aluno a refletir sobre as questões de gênero, identidade e diferenças, considerando-se o contexto escolar.

Bibliografia:
BAKHTIN, Mikhail. Estética da Criação Verbal. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
BECKER, H. S. Marginais e desviantes. In: BECKER, H. S. Uma teoria da ação coletiva. Trad. Márcia B. M. L. Nunes. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977, p. 53-67.
BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice, CATANI, Afrânio M. Pierre Bourdieu – Escritos de Educação. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 71-79
BUCCI, Eugênio. Introdução: Por que criticar a TV? In: BUCCI, Eugênio (org.). A TV aos 50 – criticando a televisão brasileira no seu cinqüentenário. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2003. p. 7-11.
CANDAU, V. M. F. Sociedade, cotidiano escolar e cultura. Educação e Sociedade, n. 79, p. 125-161, 2002.
CATANI, Afrânio Mendes. A Sociologia de Pierre Bourdieu (ou como um autor se torna indispensável ao nosso regime de leituras). Revista Educação & Sociedade, ano XXIII, ano 78, abril 2002, p. 57-75.
CAZELLI, S.; FRANCO, Creso. Os diferentes tipos de capital mobilizados no contexto escolar e o acesso dos jovens a museus. Revista Educação On-line. Fascículo nº 2. Disponível em
CHARTIER, Roger. Introdução. In: História Cultural – entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL, 2002.
FISCHER, Rosa Maria Bueno. O dispositivo pedagógico da mídia: modos de educar na (e pela) TV. Revista Educação e Pesquisa. Jan/Jun 2002. v. 28, n. 1. p. 151-162.
FONTANA, R. C. Trabalho e subjetividade. Nos rituais da iniciação, a constituição do ser professora. Cadernos Cedes, nº 50, 2000, pp. 103-119.
FONTANA, Roseli A. Cação. A elaboração conceitual: A dinâmica das interlocuções na sala de aula. In: SMOLKA, Ana Luiza B.; GÓES, Maria Cecília R. de. (orgs.) A linguagem e o outro no espaço escolar: Vygotsky e a Construção do Conhecimento. Campinas: Papirus, 1993, p. 121-151.
GERALDI, João Wanderlei. Sobre a questão do sujeito. In GERALDI, João Wanderlei. Ancoragens: estudos bakhtinianos. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010, p. 133-146.
GÓES, Maria Cecília R. de.; SMOLKA, Ana Luiza B. (orgs.) A significação nos espaços educacionais: interação social e subjetivação. Campinas: Papirus, 1997.
GOFFMAN, E. Estigma e identidade social: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Trad. Márcia B. M. L. Nunes. Rio de Janeiro: Guanabara, 1963/1988, p. 12-50.
LISONDO, Alicia Beatriz Dorado de. No fim do milênio: Por que é cada vez mais difícil aprender? In: OLIVEIRA, Maria Lúcia de (Org.). Educação e Psicanálise: história, atualidade e perspectivas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003, p. 17-77.
LOPES, Rodrigo Barbosa. Educação, Experiência e produção de subjetividade. Disponível em: Acesso em 12 mar. 2012.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação – uma perspectiva pós-estruturalista. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: das afinidades políticas às tensões teórico-metodológicas. Educação em Revista. Belo Horizonte, dez. 2007. n. 46. p. 201-218. Disponível em Acesso em: 12 mar. 2012.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero: questões para educação. In. BRUSCHINI, Cristina; UNBEHAUM, Sandra G. (orgs.) Gênero, democracia e sociedade brasileira. São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Editora 34, 2002. p. 225-242.
MAHEIRIE, Kátia. Constituição do sujeito, subjetividade e identidade. Interações [online]. 2002, vol. 7, n. 13, p. 31-44. Disponível em Acesso em: 12 mar. 2012.
MOREIRA, A. F. B. e SOUSA, L. F. E. C. P. (Orgs.) Políticas educacionais, práticas escolares e alternativas de inclusão escolar. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
PESAVENTO, S. História & História Cultural. 2ªed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.
PINO, Angel. As marcas do humano: as origens da constituição cultural da criança na perspectiva de Lev S. Vigotski. São Paulo: Cortez, 2005.
PINO, Angel. O nascimento cultural da criança. In PINO, Angel. As marcas do humano: as origens da constituição cultural da criança na perspectiva de Lev S. Vigotski. São Paulo: Cortez, 2005, p. 151-171.
SETTON, Maria da Graça J. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu. Revista Brasileira de Educação, maio/jun/jul/ago 2002, nº 20, ANPED/Autores Associados, p. 60-70.
SILVA, T. T. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, T. T. (Org.); HALL, S. e WOODWARD, K. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000, p. 73-102.
SMOLKA, Ana Luiza B.; GÓES, Maria Cecília R. de; PINO, A. A Constituição do Sujeito: uma questão recorrente? In WERTSCH, James V.; RIO, Pablo Del; ALVAREZ, Amélia (orgs.). Estudos Socioculturais da Mente. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 143-158.
VEIGA-NETO, A. Incluir para excluir. In: LARROSA, J. e SKLIAR, C. Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Trad. Semíramis Gorini da Veiga. Belo Horizonte: Autêntica, 2001, p. 105-118.
VELHO, F. (Org.) Desvio e divergência: uma crítica da patologia social. Rio de Janeiro: Zahar, 1974/1985.
VIGOTSKI, Lev S. A Construção do Pensamento da Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
VIGOTSKI, Lev S. As raízes genéticas do pensamento e da linguagem. In VIGOTSKI, Lev S. A Construção do Pensamento da Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000, p. 111-150.
VYGOTSKY, Lev S. O instrumento e o símbolo no desenvolvimento da criança. In VYGOTSKY, Lev S. A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 4ª ed, 1991, p. 21-33.

Áreas de pesquisa:
Educação